Transtorno de Personalidade HISTRIÔNICA: CID 10 - F60.4

"O Transtorno de personalidade histriônica (TPH - CID 10 F 60.4) é definido pela Associação Americana de Psiquiatria como um transtorno de personalidade caracterizado por um padrão de emocionalidade excessiva e necessidade de chamar atenção para si mesmo, incluindo a procura de aprovação e comportamento inapropriadamente sedutor, normalmente a partir do início da idade adulta. Tais indivíduos são vívidos, dramáticos, animados, flertadores e alternam seus estados entre entusiásticos e pessimistas. Podem ser também inapropriadamente provocativos sexualmente, expressarem emoções de uma forma impressionável e facilmente influenciados por outros. Entre as principais características relacionadas estão egocentrismo, desorganização egóica, auto-indulgência, anseio contínuo por admiração, e comportamento persistente e manipulativo para suprir suas próprias necessidades. 

  • CARACTERÍSTICAS

        Pessoas com este transtorno em geral são capazes de conviverem normalmente e às vezes alcançarem sucesso profissional e baixo índice de sucesso social. Indivíduos com transtorno de personalidade histriônica geralmente possuem bons dotes sociais, mas tendem a usá-los para manipular os outros para tornaram-se o centro das atenções. Mais além, acabam por afetar os relacionamentos sociais, profissionais ou românticos da pessoa, assim como sua habilidade em lidar com perdas ou fracassos. Esses indivíduos começam bem relacionamentos, porém, tendem a hesitar quando profundidade e durabilidade são necessários, alternando entre extremos de idealização e desvalorização. São pessoas caracterizadas pela infidelidade contumaz e inconsequente em relações amorosas.

         Com o fim de relações românticas podem buscar tratamento para depressão, embora isto não seja de forma alguma uma característica exclusiva a este transtorno. Inicialmente o TPH pode ser confundido com a mitomania. Frequentemente não conseguem visualizar sua própria situação pessoal de forma realista [...]têm problemas em lidar com a frustração. 

  • SINTOMAS: 

1.Comportamento exibicionista; 
2.Busca constante por apoio ou aprovação; 
3.Sensibilidade excessiva frente a críticas ou desaprovações; 
4.Orgulho da própria personalidade, relutância em mudar e qualquer tentativa de mudança é vista como ameaça; 
5.Aparência ou comportamento inapropriadamente sedutor ; 
6.Sintomas somatoformes, e utilização destes sintomas como meio de chamar atenção; 
7.Necessidade de ser o centro das atenções;
8.Baixa tolerância à frustração ou à demora por gratificação; 
9.Angústia provocada pela alternância de crença nas próprias mentiras insustentáveis (mitomania); 
10.Tendência em acreditar que relacionamentos são mais íntimos do que na realidade o são; 

              [...]

            É exigido pelo DSM IV-TR que o diagnóstico de quaisquer transtornos de personalidade específicos também satisfaça uma relação de critérios de transtornos de personalidade em geral. CID-10 

      A CID-10 da Organização Mundial da Saúde lista o transtorno de personalidade histriônica sob o código F60.4, sendo caracterizado por pelo menos três dos seguintes: 

1.Dramatização, teatralidade, e expressão exagerada de emoções; 
2.Busca contínua por excitação e atividades onde o paciente é o centro das atenções; 
3.Sedução inapropriada em aparência ou comportamento;
4.Busca de parceiros simultâneos; 
5.Desprezo por diagnósticos, críticas e sugestões que não coincidam com seu comportamento; 
6.Preocupação excessiva com aparência física, vestimenta e acesssórios. 
7.Em casos extremos, pode insinuar-se para depois ser receptiva ao assédio do sexo oposto, mesmo que de pessoas com pouca ou nenhuma intimidade; 
8.Inconformismo com o fim de relacionamentos, seguido de TOC -Transtorno Obsessivo Compulsivo com prevalência à obsessão pelo Déjà-vu na busca de reeditar relacionamentos que já não existem mais".

_________________

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (4ª edição, DSM IV-TR)

Comentários

  1. eu tenho todos esses sintomas e ainda tem o f33.2+f44 e não consigo lidar com isso, oque devo fazer pra ficar bem no meu dia a dia sem afetar minha familia já que não tenho acesso a um psicólogo pra me ajudar a resolver esses conflitos que tenho.
    pois percebo que só psiquiatra não é o suficiente pq eles só me passam remédios que me deixam dopada e eu quero viver uma vida normal.
    vocês podem me ajudar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Busque uma faculdade de psicologia próxima de sua casa, lá você encontrará um serviço de psicologia aplicada que irá lhe atender gratuitamente.

      Excluir
  2. Eu tbm tenho esse diagnóstico e não aceito não acredito que eu tenha todos esses sintomas! Não sinto assim...

    ResponderExcluir
  3. As coisas não são assim... O paciente pode ter algumas dessas características...Mas a confusão mental encaixa-se em outros tantos tipos de trastornos. Psiquiatras não sentem o que o paciente sente e vive.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Vale lembrar a todos que existe grande diferença entre a presença desses "sintomas" em nosso dia a dia e nas nossas formas de nos relacionar, do que a patologia propriamente dita. Muito cuidado na busca de um "rotular-se" para "encaixar-se", pois no processo poderíamos muito bem pegar uma CID10 e sair dela com todos os transtornos e patologias possíveis.

    Na dúvida busque uma avaliação psiquiátrica bem como um bom acompanhamento psicológico para um voltar-se para si. E ademais, não sofram por compreender em vossos íntimos características que os tornem diferentes. Isto não é ser ruim, ou bom; apenas como a palavra já diz... diferente. E não somos todos?

    ResponderExcluir
  6. Fui diagnosticada por um psiquiatra com esse transtorno. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segui a orientação do seu psiquiatra. Cuide-se

      Excluir
    2. Eu também, Meu médico me receitou Carmazepina e estou super bem!

      Excluir

Postar um comentário